sábado, 28 de abril de 2012

Tristeza à conta-gotas


Às vezes tristeza chega silenciosamente
como uma chuva fina e serena, mas persistente.
Pequenos pingos de melancolia vão encharcando lentamente a alma.
Às vezes, me inebrio com a tristeza
Até os últimos pedaços de alegria
Se desmancharem como sal na água.

Uma água fina e salgada vaza da alma,
Se transformando em fiapos de dor que escapam pelos becos dos olhos.

Tristeza torrencial não definha. Causa muitos danos, mas logo se vai.
Imediatamente podemos fazer serão para recompor as estruturas da alma.

Tristeza em forma de garoa faz a alma se afogar em lágrimas.
Elas se acumulam dia a dia até nos cobrir a cabeça.
A tristeza à conta-gotas faz todas as bases se tornarem umedecidas e enfraquecidas.
A tristeza quando se instala para ficar faz a memória desvanecer.
A tristeza persistente faz o futuro encolher e a esperança fugir.



Nenhum comentário:

Postar um comentário