terça-feira, 20 de março de 2012

Uma noite de névoa

Uma luz dourada corta a névoa
A noite está vazada.
A escuridão recua,
Diante de uma neblina diáfana e uma luz imponderável.
Elas trazem à noite uma beleza igual à da lua e das estrelas
Que hoje podem e merecem descansar.

Uma noite sem estrelas e sem luar.
Que beleza há?
A neblina se casa com a luz
Eis a poética de uma noite de névoa dispersa pelo ar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário