sexta-feira, 2 de março de 2012

Sobre gramática versus poética

A gramática intimida a alma
A poética liberta a alma.

A gramática diz como viver na e pela língua, mas não vive
A poética simples e livremente vive.

A gramática trabalha com um pedaço envelhecido da língua, um dogma
A poética trabalha com a nossa língua viva de cada dia.

A gramática recorta a língua, agradando uns e excluindo muitos
A poética distende a língua, contrariando uns e alcançando todos.

Os sacerdotes da gramática vendem a própria alma para alimentar o dogma
Os sacerdotes da poética ganham a própria alma enquanto dão vida à verve.

Gramática e poética são o mesmo que religião e espiritualidade. É só mudar os nomes.


Nenhum comentário:

Postar um comentário