segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Deus se retrai, se autorrestringe por causa do amor


 “Deus se segura; se esconde; chora. Por quê? Porque deseja o que o poder jamais consegue conquistar. Ele é um rei que não deseja a sujeição, mas o amor. Ao invés de esmagar Jerusalém, Roma e todas as outras potência mundiais, ele optou pelo caminho lento e difícil da Encarnação, amor e morte” 


[Philip Yancey. Decepcionado com Deus. 4. ed. São Mundo Cristão, 1997].

“Em vez de esmigalhar o poder do mal com a força divina; em vez de impor a justiça e destruir os ímpios; em vez de pacificar a Terra mediante o governo de um príncipe perfeito; em vez de reunir as crianças de Jerusalém sob suas asas, quer elas quisessem ou não, e de salvá-las dos horrores que angustiavam sua alma profética – Ele deixou que o mal agisse à vontade enquanto existisse; Ele se satisfez com as formas lentas e desencorajadoras de ajudar apenas no essencial; tornando bons os homens; expulsando, e não simplesmente controlando, Satanás... Amar a justiça é fazê-la crescer, não é vingá-la”.


[George MacDonald. Life essential: the hope of the gospel. Wheaton: Harold Shaw, 1978. p. 24 citado por Philip Yancey. Decepcionado com Deus. 4. ed. São Mundo Cristão, 1997]

Nenhum comentário:

Postar um comentário