domingo, 12 de fevereiro de 2012

Deus está morto? Ainda não, mas o dia vai chegar


Já está em curso um movimento, lento mas consistente, de implosão do conceito de deus como um ser concentrador, intervencionista, carente de bajulação e que concede poderes colossais aos bons moços da religião. Esse deus, que sabe todas as coisas (mas só fala para uns poucos que se autoproclamam iluminados), que controla o mundo, distribuindo bem e mal calculadamente, segundo um propósito maior (mas não revelado), que garante prosperidade aos que capitalizam o negócio dos “grandes homens de deus”, que salva apenas os que se submetem aos caprichos da religião, está morrendo e não há quem possa salvá-lo.

2 comentários:

  1. Não acredito que esse dia chegue, não comungo muito com esse conceito de deus da linha do Teísmo aberto, porém gosto muito da forma instigante de abordagem que cada linha teológica proporciona tendo como consequência uma abertura para a dialética. Como diria Voltaire "Não concordo com o que dizes, mas defendo até a morte o direito de o dizeres."

    ResponderExcluir
  2. É importante saber ler Friedrich Nietzsche. Ele contesta o deus pai bíblico que felizmente nunca existiu e infelizmente continua existindo na cabeça de muitos. Nietzsche contesta o Cristo elaborado pela religião e que também nunca existiu. Ele não se refere ao Jesus humano, um espírito evoluido que veio trazer uma mensagem de moral, não a moral dos hipócritas ligada a sexo, mas a moral cósmica onde devemos respeitar o próximo ou em sua linguagem: amarmos uns aos outros. Visitem meu blog: omitododeuspai24x7.blogspot.com e encontrarão a verdade sobre o deus pai.

    ResponderExcluir